Com surgimento das novas tecnologias e facilidade com o acesso á internet possibilita que, os filhos de pais que estão inseridos neste projeto de educação 

Resumo

Este trabalho tem como objetivo destacar a importância da educação de Jovens e Adultos EJA, em comunidades Rurais.Com o auxilio do celular como ferramenta de apoio para desenvolver atividade proposta para o aprendizado de alunos que ainda não concluíram o ensino fundamental I.  Com surgimento das novas tecnologias e facilidade com o acesso á internet possibilita que, os filhos de pais que estão inseridos neste projeto de educação possam auxiliar com esta ferramenta de fácil acesso, aos conteúdos em plataformas de apoio.  Que disponibiliza equipamentos fundamentais que tem como apoio para o desenvolvimento as atividades proposta pelo acompanhamento do aluno, e possibilita tanto ao aluno como professor pesquisar e desenvolver atividades em plataformas, e pesquisas em livros disponibilizados em sites para ser baixados. Acessar computador, impressoras, é cada vez mais fácil, além dos avanços com acesso a internet, tablete, etc. que tem como apoio para o desenvolvimento e aprendizado das atividades proposta.

Palavra Chave: Educação EJA, Aprendizado, Gênero, Campo

Summary

This paper aims to high light the importance of youth education and adult education Adults in Rural Communities. With the phone assistance as a support tool to develop the proposed activity to the learn in gof students who have not completed primary school I. With the emergence of new technologies and ease with internet access enables the children of parents who are included in this education project can assist with this tool easy access to content in support platforms. That provides basic equipment that is to support the development activities proposed for monitoring the student and allows both the student and teacher research and develop activities on platforms, and research in books available on websites to be downloaded. Computer  access, printers, it is becoming easier, in addition to advances with internet access, tablet, etc. whose support for the learning and development of proposed activities.

Keyword: Education EJA, Learning, Gender, Field

Introdução

Desde a Revolução de 1930, as mudanças políticas e econômicas permitiram o início de um sistema público de educação no país. Com isto surge a transformação tecnológica e desde de então a facilidade com equipamentos que passou a fazer parte da construção do conhecimento. A Constituição de 1934 estabeleceu a criação de um Plano Nacional de Educação, que indicava pela primeira vez a educação de adultos como dever do Estado, incluindo em suas normas a oferta do ensino primário integral, gratuito e de frequência obrigatória, extensiva para adultos. Ao longo dos anos, o avanço econômico e tecnológico passou a exigir cada vez mais pessoas qualificada e alfabetizada, com isso várias medidas de políticas pedagógicas foram sendo adotadas, tais como: a Campanha de Educação de Adolescentes e Adultos (CEAA), a Campanha Nacional de Erradicação do Analfabetismo (CNEA), o Movimento MOBRAL, o Ensino Supletivo. A qualidade do ensino tornou-se cada vez melhor com ajudas e a facilidade com as ferramentas tecnológica. Acessar, como computador, impressoras, o uso do celular cada vez mais avançado com acesso a internet, tablete, etc. que pode ser usada como apoio para o desenvolvimento do aprendizado. Segundo Roberto Da Matta(2204) A casa, segundo o antropólogo é o local onde as famílias moram, formadas por pessoas que possuem a mesma substância. Ou seja, condição de transmitir conhecimentos. Nos dias atuais os jovens e crianças frequentam escolas e que podem sim ajudar na formação dos pais a aprender a ler e escrever, usando ferramentas como celular em casa, porque os adultos tem resistência de ir a escola. Entrevistando adultos fiz uma pergunta já que estavam aposentados e que já não tinha que trabalhar, porque que ele não voltava a frequentar escola para concluir o ensino fundamental. Prontamente me respondeu que tinha vergonha de estudar na mesma sala em que seus netos estudavam. E que não precisava estudar porque a vida para eles tinha passado. É muito chocante ouvir de pessoas que não tiveram o direito de estudar, sonhos roubados. Foi quando duas senhoras relataram que seus filhos estavam ensinando a ler pelo celular mostrado como formar palavras e a escrever seu nome, que tinha comprado um caderno e já tinha aprendido formar palavras. Insisti que ela faça matricula e vá estudar para aprender a ler historias em livro.

 

O município de Aroeiras/PB e a comunidade rural do sítio Uruçu

O município de Aroeiras/PB caracteriza-se por localizar-se geograficamente no Agreste da Borborema, região composta por clima semiárido, tem uma população de 19.082 habitantes, possui uma área de 375 km² e encontra-se a 195 km de João Pessoa/PB, capital do estado (IBGE, 2011).

Hoje, além da zona urbana, o município conta com um grande número de habitantes na zona rural (mais da metade da população total), destacando-se a população do Distrito de Pedro Velho, além do Sítio Uruçu que aparece como uma comunidade bastante populosa deste município.

O distrito foi criado com a denominação de Aroeiras (nome que permanece até os dias de hoje), pela lei municipal nº 12, de 25 de outubro de 1905, subordinado ao município de Umbuzeiro. A emancipação política ocorreu em 1 de dezembro de 1953 pela lei estadual nº 980, desmembrado do Munícipio de Umbuzeiro. Instalado em 28 de dezembro de 1953. No que Concerne salientar mesmo após varia décadas de sua emancipação politica este município apresenta uma serie de problemas relacionados a educação, saúde, infraestrutura, entre outros. Essas características vislumbradas no município paraibano de Aroeiras é comum a maioria dos municípios inseridos na região do Agreste paraibano. A Figura 03 nos coloca o município de Aroeiras/PB dentro do Agreste paraibano.

Figura 01- Localização geográfica da cidade de Aroeiras/PB

 

 

 

 

Fonte: Google (2016)

A comunidade rural do Sítio Uruçú

O Sítio Uruçu é constituído de uma população de 516 habitantes distribuídos em 136 residências conforme dados da Prefeitura, sendo que os moradores desta comunidade dependem parte ou exclusivamente das atividades agrícolas. Mesmo pertencendo a mesma comunidade rural e praticamente desenvolvendo as atividades agrícolas para sobreviver essas famílias de agricultores apresentam uma serie de diversidades as quais necessitam de politicas e publicas diferenciadas. Desta forma, alertamos a necessidade de inserir dentro do contexto socioeconômico deste trabalho as diversidades socioeconômicas desta comunidade rural.

Renda familiar

Ao considerarmos os componentes constituidores da renda familiar dos componentes do Sitio Uruçu, constatamos que a maior geradora desta renda esta ligada aos programas sociais do governo federal (49%) e/ou aposentadoria (34%), seguida de salário (11%) com outras rendas como trabalho doméstico, venda de produtos ou comércio e ainda com salário da prefeitura, fato que nos alerta para a fragilidade em função da renda obtida por essa população, como podemos observar na Tabela 01.

Tabela 01 – Tipo de renda familiar apresentada pelos agricultores do sítio Uruçú.

Tipos de rendas

Tabela 01 – Tipo de renda familiar apresentada pelos agricultores do sítio Urucu

TIPOS DE RENDAS

Aposentadoria

34%

Trabalho remunerado

11%

Programas Sociais

49%

Outros

06%

Total

100%

 

Fonte: Dados da pesquisa de campo (2011)

De conformidade com os aspectos do nível de escolaridade desta comunidade observamos que este por ser considerado baixo se configura como um fator limitante ao desenvolvimento de cooperativas e de aperfeiçoamento dos trabalhadores rurais do Sítio Uruçu. O Gráfico 02 mostra o nível de escolaridade desta população.

Escolaridade

Gráfico 02 – Distribuição do nível de escolaridade apresentada pelos moradores entrevistados do Sítio Uruçu de Aroeiras

Fonte: Pesquisa da pesquisa de campo (2011)

Quanto ao nível de escolaridade 12 dos agricultores entrevistados (23%) foram considerados analfabetos por não saberem ler nem escrever; enquanto que 20 dos entrevistados são semi-analfabetos (40%), que assim foram considerados por saberem escrever ou assinar o próprio nome; já com o atual ensino fundamental foram apresentados 12 dos entrevistados correspondendo a 23%, com ensino médio 3 pessoas (6%) e de nível superior 4 pessoas, o que correspondeu  a 7% dos entrevistados. Levando em consideração que as 4 pessoas com nível superior são professores da rede pública municipal e que tiveram incentivos dos pais e oportunidade de concluírem um curso de nível superior em Licenciatura em Biologia, Letras e/ou Pedagogia, assim observamos que os cursos de licenciatura apresentam-se como os de maior acesso entre as populações de baixa renda, fato que a longo prazo contribui para  melhorar a vida dos habitantes desta comunidade rural.

O Sítio Uruçu dispõe apenas de uma escola de nível fundamental I (Escola Estadual de Uruçu) fundada em 1943. As dificuldades de compreensão, de concentração e de empenhamento que se verificam em muitos alunos têm, muitas vezes, origem na ausência de estímulos de diversa ordem, cujas causas estão, freqüentemente, ligadas a insuficiências econômicas e/ou culturais dos respectivos meios familiares. A importância da educação associada ao desenvolvimento socioeconômico pode ser caracterizada pela forma de aprendizagem e por características em que está inserida a população, levando emQuanto ao nível de escolaridade 12 dos agricultores entrevistados (23%) foram considerados analfabetos por não saberem ler nem escrever; enquanto que 20 dos entrevistados são semi-analfabetos (40%), que assim foram considerados por saberem escrever ou assinar o próprio nome; já com o atual ensino fundamental foram apresentados 12 dos entrevistados correspondendo a 23%, com ensino médio 3 pessoas (6%) e de nível superior 4 pessoas, o que correspondeu  a 7% dos entrevistados. Levando em consideração que as 4 pessoas com nível superior são professores da rede pública municipal e que tiveram incentivos dos pais e oportunidade de concluírem um curso de nível superior em Licenciatura em Biologia, Letras e/ou Pedagogia, assim observamos que os cursos de licenciatura apresentam-se como os de maior acesso entre as populações de baixa renda, fato que a longo prazo contribui para  melhorar a vida dos habitantes desta comunidade rural.

O Sítio Uruçu dispõe apenas de uma escola de nível fundamental I (Escola Estadual de Uruçu) fundada em 1943. As dificuldades de compreensão, de concentração e de empenhamento que se verificam em muitos alunos têm, muitas vezes, origem na ausência de estímulos de diversa ordem, cujas causas estão, freqüentemente, ligadas a insuficiências econômicas e/ou culturais dos respectivos meios familiares. A importância da educação associada ao desenvolvimento socioeconômico pode ser caracterizada pela forma de aprendizagem e por características em que está inserida a população, levando em consideração também o nível dos educadores que atuam nas escolas públicas, pois devido à falta de profissionais não é exigida qualificação profissional. Outro aspecto importante para compreendermos as condições socioeconômicas das famílias do Sítio Uruçu é o tipo de residência predominante nesta comunidade, como podemos observar no Gráfico 03

Gráfico 03 – Tipo de residência

 

Gráfico 03 – Tipo de residência

Quanto ao tipo de moradia constatamos que 40 (79%) dos entrevistados moram em casas próprias, muitas vezes adquiridas por herança, assim como as terras em seu entorno o que proporciona a continuidade das atividades agrícolas por membros mais novos das famílias e a conservação das moradias já 11dos entrevistados correspondente a (21%) moram em casas cedidas por proprietários de terras que moram na própria cidade (zona urbana) e até em outras cidades e que contratam pessoas para serem os guardiões das terras, cedendo a casa para moradia e as terras para o plantio. Sabe-se que boa parte das famílias da zona rural tem habitações ou moradias precárias, mas, no Sítio Urucu, observamos que as residências são construídas de tijolos e com infraestrutura básica, munida de banheiros ou fossas para recolhimento de detritos. A comunidade, apesar da existência de tubulação que passa pelo sítio vindo da barragem de Acauã, não dispõe de água encanada, restando os métodos de reservatórios em tanques e cisternas de águas provindas do Açude de Uruçu. Com relação à energia elétrica, há uma unidade de subestação da Energisa Borborema – Distribuidora deEnergia S/A (ENERGISA) - implantada no ano de 2010, A comunidade também dispõe de atendimento de saúde pelo Programa de Saúde da Família (PSF), através de atendimento no posto de saúde da comunidade localizado na cidade de Aroeiras/PB, sendo acompanhados pelo Agente Comunitário de Saúde (ACS) da comunidade do Sítio Uruçu.

 

Considerações finais

 

Com o resultado deste trabalho podemos observar que a educação tem o poder de transformar, pessoas para o mundo. Com os avanços das novas tecnologias de informações e equipamentos de ultima geração que se insere no mercado de trabalho para facilitar comunicações de pessoas no campo, seja zona rural ou urbana tem demostrado eficácia na construção do ser humano, na educação. Este trabalho nos possibilitou a reconhecer a importância do celular como peça essencial o aprendizado de alunos que ainda não concluíram o ensino fundamental Ipara ajudar resolver e buscar conhecimento para realizar atividades propostas em sala de aulas onde, também detectamos alunos com deficiência de aprendizagem, mais que sabem manusear tais como ligar receber ligação, enviar mensagem, fazer pesquisa nas paginas de internet. Então sugeri que usassem o celular na aula para fazer pesquisa relacionadosaos conteúdo da aula. E de imediato resolveram a atividade e apresentaram interesse pela pesquisa. Os que não souberam pediram ajuda. Já os que não tinha domínio com equipamento resolveram fazer as atividades em casa com ajuda dos filho. Ao longo de uma semana todos estavam usado o celular em sala de aula. Mostra que é de suma importância que devemos sim ensinar usando as ferramentas como nosso aliado na construção de saber em quando educador. Hoje é muito importante e fácil encontrar computador, impressora, tablts, acesso a internet, seja na zona rural seja na zuna urbana. A escola é um aliado na transformação do indivíduo.

 

Referências

 

Albuquerque, Eliana Borges Correia de A alfabetização de jovens e adultosem uma perspectiva de letramento / organizado por Eliana Borges Correia de Albuquerque e Telma Ferraz Leal. – 3, 1reimp – Belo Horizonte: Autentica, 2010 168p.

CARVALHO, José Otamar de. A economia política do Nordeste: secas, irrigação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Campus; Brasília: ABID, 1988.

CODEVASF. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba. Polígono das secas. Disponível em: <http://www.codevasf.gov.br/osvales/vale-do-sao-francisco/poligono-das-secas/?searchterm=pol%C3%ADgono> Acesso em: 27 jul. 2011.

Diálogos na educação de jovens e adultos/ organiza- do Por Leôncio Soares, Maria Amélia Gomes de Castro Giovanetti, Nilma Lino Gomes – 2 ed., 1reimp. – Belo Horizonte: Autêntica, 2007 296p

Da MattaFURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 17. ed. São Paulo: Nacional, 1980.

FERREIRA, Darlene Aparecida de Oliveira. Mundo rural e geografia: geografia agrária no Brasil (1930-1990). São Paulo: UNESP, 2002.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 17. ed. São Paulo: Nacional, 1980

GOMES, Gustavo Maia. Velhas secas em novos sertões: continuidade e mudanças na economia do semiárido e dos serrados nordestinos. Brasilia: IPEA, 2001.

GOOGLE. Localização geográfica Aroeiras/PB. Disponível em: <www.google.com.br> Acesso em: 22 jul. 2011., Roberto. O que é o Brasil? Rio de Janeiro: Editora Racco,2004

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores sociais municipais 2010: incidência de pobreza é maior nos municípios de porte médio. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=2019&id_pagina=1> Disponível em: 22 jul. 2011.

MONTENEGRO, Rosilene Dias et al. Nordeste e seus desafios. Campina Grande: EDUFCG, 2009.

http://www.cereja.org.br/pdf/revista_v/Revista_SelvaPLopes.pdf

http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/?p=1867

https://www.google.com.br/search?q=cidade+de+aroeiras+na+paraíba&espv=2&biw=1366&bih=623&tbm=isch&imgil=5DqG4PeBnr0K5M%253A%253BYVCs6lw5VPrEeM%253Bhttps%25253A%25252F%25252F

Autor

Maria Laudeci Domingos de Melo :http://lattes.cnpq.br/462067798516126