O presente artigo pretende refletir sobre a relevância da biblioteca escolar e do bibliotecário. 

O presente artigo pretende refletir sobre a relevância da biblioteca escolar e do bibliotecário. A biblioteca escolar é um ambiente favorável ao desenvolvimento de atividades relacionadas à leitura colocando o bibliotecário como um mediador de leitura.

Devemos pensar a biblioteca escolar como um local que ultrapasse a ideia de ser apenas uma sala de leitura, uma sala com estante de livros, um lugar de silêncio, um local de castigo (leva os alunos que não fazem a tarefa escolar, que chegam atrasados, alunos que atrapalham a aula de algum professor).

A biblioteca deve ser vista como apoio pedagógico a escola, professor, aluno e família. Ela deve ir além de sua função educativa e informativa, como servindo também de espaço para a reflexão sobre a sexualidade. Isso mesmo atender as necessidades dos alunos que queiram pesquisar ou debater sobre itens relativos a este assunto na biblioteca escolar.

Verificarmos que nossas bibliotecas escolares públicas têm pouca ou nenhuma utilidade para a escola. Muitas vezes encontramos trancadas, parecendo depósitos de livros e abertas só quando algum professor necessita pegar algum livro.

 Apresentarmos os vários problemas que as bibliotecas escolares enfrentam como: acervo desatualizado, desorganizado, não catalogados;

Espaço físico inapropriado (mal-iluminado, pouco arejado, úmido, apertado, ausência de mobiliário adequado, falta de acessibilidade etc.);

Bibliotecas que não informatizam seus produtos e serviços (sem catálogos automatizados, sem acesso a base de dados, sem empréstimo on-line etc.) Para a tecnologia não distanciar os usuários da biblioteca, esta deve ter computadores com acesso a Internet.

Profissional não qualificado (os responsáveis são professores com algum problema de saúde ou perto de se aposentar). Tem muito professor responsável pela biblioteca escolar que desempenha papel importante na formação de leitores. Bibliotecários que deveriam ocupar essa vaga, mas ás vezes nem concurso público têm e quando tem os salários são lastimáveis.     

Sobre a atuação do bibliotecário em bibliotecas escolares foi sancionada a Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do país, que diz que todas as bibliotecas escolares, num prazo de dez anos para seu efetivo cumprimento, a terem um profissional com formação em Biblioteconomia para o exercício profissional.

Horário de funcionamento: deve se adequar as horas vagas dos alunos. Na hora do recreio e no final dos horários das aulas a biblioteca deve se encontra aberta e não fechada. Sobre a biblioteca ser um local para leitura, Campelo (2005, p.17) coloca que:

 

Os PCNs reconhecem que a biblioteca é fundamental para o desenvolvimento de um programa de leitura eficiente, que forme leitores competentes e não leitores que leiam apenas esporadicamente. A biblioteca, ao reunir para uso coletivo e de forma orgânica uma diversificada gama de portadores de textos, representa recurso imprescindível para a formação de leitores capazes de, além de decifrar o código linguístico, saber interpretar o que lêem, encontrando significados no texto e desenvolvendo práticas de intertextualidade.

 

A biblioteca deve integrar o projeto político-pedagógico da escola. Deve ser um ambiente de descobertas de seus usuários. Ela tem que ser uma “biblioteca viva” para poder cumprir seu papel na escola e para isso precisa existir como acontece nas bibliotecas da rede particular de ensino onde há muitas iniciativas em relação a pratica da leitura.

A leitura tem relevante função na formação pessoal e intelectual dos indivíduos. Já ouvimos dizer que “só escreve bem quem lê muito”. A habilidade de ler pode ser adquirida na escola com a parceria da biblioteca onde ambas devem realizar trabalhos conjuntos com sua comunidade escolar. Assim, a biblioteca escolar será um dos pilares para a leitura, tendo como profissional habilitado a frente deste papel de formação de leitores, o bibliotecário.

Mas de que forma pode se dá essa parceria da escola com a biblioteca? O professor e o bibliotecário devem desenvolver atividades e práticas de leitura no qual o trabalho desempenhado será de maneira planejada e organizada por ambos por meio de projetos de leitura. Podemos citar: contação de histórias na biblioteca, rodas de leitura, troca-troca de livros literários, atividades que envolvam a literatura, teatro, música, roteiro de leitura com questões, saraus literários, gincanas literárias etc.

Professores e familiares devem incentivar o discente a ir à biblioteca para ler no local ou pegar um livro para ler em casa. Assuntos que são abordados em sala de aula pelos professores, fazem com que os alunos frequentem a biblioteca para fazer pesquisas ligadas a trabalhos escolares.

Na biblioteca escolar, o bibliotecário pode desenvolver um importante papel na formação de leitores, especialmente se a biblioteca contar com um acervo repleto de fontes de informação, cuja organização é de sua responsabilidade. Isto também pode estimular o bibliotecário a tornar-se um ávido leitor para que dessa forma, possa também incentivar o aluno ao hábito a leitura. O que torna o bibliotecário um educador também. Segundo Tavares (1973, p. 27) o:

 

[...]. bibliotecário, intermediário entre o leitor e a leitura, graças ao seu trabalho eficiente é que a biblioteca pode existir. Da sua ação, do seu conhecimento depende a biblioteca para ser dotada e estar preparada para atender as necessidades dos alunos.

 

Sendo assim, verificarmos que ele tem um papel fundamental na biblioteca escolar como formador de leitores, pois é o elo que liga a informação através de uma simples atividade de leitura na biblioteca escolar, preparando e incentivando o aluno a prática da leitura. De acordo com Kuhlthau (2006, p. 28) à hora da leitura consiste:

 

Na leitura de uma grande variedade de livros de histórias interessantes para as crianças. Essa é uma experiência agradável, tanto para elas como para o bibliotecário. A fim de criar um ambiente favorável para se escutar histórias e bom entender alguns dos comportamentos e características típicos de crianças por volta dos cinco anos.

 

O bibliotecário escolar deve estimular o ato de ler na biblioteca, utilizando-se de diversos recursos didáticos tais como, a atividade denominada a “hora da leitura”, que é uma atividade que o bibliotecário desenvolve com o objetivo de despertar nos alunos o interesse em visitar mais a biblioteca, como também tornar este espaço um lugar mais agradável e atrativo para o desenvolvimento do hábito de ler. Este é, pois, um dos mecanismos que o bibliotecário pode usar para auxiliar o professor e o aluno na leitura.

O bibliotecário escolar também deve saber escolher livros relevantes na hora da leitura, para o processo de ensino/aprendizagem do aluno. Por isso o quanto é importante o seu papel na formação de leitores, contribuindo da maneira que lhe compete, dentre as quais auxiliando na escolha de obras que melhor se adéquem ao tema abordado em sala de aula.

 Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), dentre as várias descrição sumária do cargo de bibliotecário que pode desempenhar, temos a de realizar difusão cultural voltadas para as atividades de fomento à leitura.

A uma necessidade de o bibliotecário ser qualificado, competente e atualizado com as mudanças que estão acontecendo no ensino e no contexto da biblioteca escolar.

Mais uma vez ratificamos que o bibliotecário escolar tem um papel importante na formação de leitores, criando situações que despertem a atenção dos alunos a frequentar de forma assídua o ambiente da biblioteca. E o bibliotecário não deve se limitar apenas as funções técnicas da sua profissão como: catalogar, classificar, indexar etc. Ele deve ser um profissional multidisciplinar que atenda as necessidades dos seus usuários.

Formação de leitores não é uma tarefa simples, mas indispensável num espaço que produz cultura como a biblioteca escolar. Professor, aluno e familiares não devem visita-lá só para fazer pesquisa, pois essa não é sua única função. A biblioteca escolar e a leitura devem fazer parte do projeto pedagógico da escola para o processo de aprendizagem dos discentes.

 

Referência

BRASIL. Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12244.htm>. Acesso em: 10 jan. 2016.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Classificação Brasileira de Ocupações: profissionais da informação. Brasília, 2002. Disponível em: <http://www.mtecbo.gov.br/ busca/ descricao .asp ? codigo=2612>.  Acesso em: 10 jan. 2016

CAMPELLO, Bernadete Santos. A biblioteca escolar: temas para uma prática pedagógica. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

KUHLTHAU, Carol. Como usar a biblioteca na escola: um programa de atividades para o ensino fundamental. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

TAVARES, Denise Fernandes. A biblioteca escolar: conceituação, organização e funcionamento, orientação do leitor e do professor. São Paulo: LISA: Brasília, INL, 973.

 

Autores

 Karol Rocha. E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Bem-vindo(a) ao Ppol

Obrigado por visitar nosso Portal!

Aproveite sua visita e faça seu registro.

Busca

Login

Notícias